Portal ApoNews

Notícias Coronavírus

Casos confirmados de Covid em idosos caem 36% entre março e maio no RN

Número de internações de pessoas acima de 60 anos também teve queda relevante no último mês.

Casos confirmados de Covid em idosos caem 36% entre março e maio no RN
PBH / Divulgação
Use este espaço apenas para a comunicação de erros nesta postagem
Máximo 600 caracteres.
enviando

Os casos confirmados de Covid-19 em idosos caíram 36% entre os meses de março e maio deste ano no Rio Grande do Norte. Os dados são do Laboratório de Inovação Tecnológica em Saúde (LAIS/UFRN), que monitora a situação da pandemia no estado em parceria com a Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap).

Ao todo, em março deste ano o estado registrou 5.330 casos confirmados em idosos, o maior número desde o início da pandemia. Após se manter alto em abril (4.526), no mês de maio esse número apresentou queda para 3.365.

A queda exatamente em maio é relevante, já que o mês foi o com mais casos confirmados de Covid-19 no estado desde o início da pandemia. O mês fechou com 45.451 casos confirmados nos boletins epidemiológicos da Sesap - o mês anterior com mais casos era março de 2021, com 29.366.

A queda no número de casos também tem influenciado na queda de internações dos idosos em UTIs. Em julho de 2020, os idosos ocupavam em média 75% dos leitos críticos; em janeiro, 60%; entre março e maio, 50%. Em junho, ocupam 30%.

Aplicação de vacina Coronavac, contra a Covid-19, em Natal, Rio Grande do Norte.  — Foto: Kleber Teixeira/Inter TV Cabugi

Aplicação de vacina Coronavac, contra a Covid-19, em Natal, Rio Grande do Norte. — Foto: Kleber Teixeira/Inter TV Cabugi

Segundo o Regula RN, atualmente há 113 idosos nos leitos de UTI público no RN e outras 262 pessoas com menos de 60 anos, que representam quase 70%.

Essa queda está diretamente associada à aplicação das vacinas nesses grupos, segundo apontam os especialistas.

"Quando olhamos pros números de internação, principalmente em UTIs, aliado ao processo vacinal que tem ocorrido, começamos a perceber que, conforme se avança nas faixas etárias e conclui o processo vacinal da maior parcela da população daquele grupo etário, consegue se derrubar o número de internação e de óbitos para aquelas pessoas", explicou o pesquisador do LAIS, Rodrigo Silva.

Hospital Belarmina Monte, em São Gonçalo do Amarante: internações de idosos caíram em todo RN — Foto: Ariel Dantas

Hospital Belarmina Monte, em São Gonçalo do Amarante: internações de idosos caíram em todo RN — Foto: Ariel Dantas

O pesquisador reforça que, considerando esses grupos etários como os mais vulneráveis no início da pandemia, esse dado é ainda mais relevante.

"Em maio, quando a gente percebe a conclusão do processo vacinal (dos idosos), a gente vê uma queda bem mais vertiginosa, e hoje a gente está numa faixa de 28 a 30% de ocupação dos leitos de UTI por idosos, ou seja, um grande ganho aí visto o todo o número de óbitos e o número de internações que a gente chegou a ter ano passado", disse.

"A vacinação é a única solução que a gente vai conseguir encontrar pra esse problema".
Gráfico de internados em leitos de UTI se inverteu ao longo dos meses, com idosos ocupando cerca de 30% atualmente — Foto: LAIS

Gráfico de internados em leitos de UTI se inverteu ao longo dos meses, com idosos ocupando cerca de 30% atualmente — Foto: LAIS

Vacinação no Rio Grande do Norte

O Rio Grande do Norte vacinou até o momento mais de 811 mil pessoas contra a Covid com pelo menos um dose. Com as duas doses aplicadas - ou seja, o esquema vacinal completo - são pouco mais de 384 mil pessoas, cerca 10,8% dos mais de 3,5 milhões de pessoas no estado. Os dados são do RN+ Vacina.

O estado começou nesta semana a vacinar pessoas abaixo de 60 anos de idade sem comorbidades, depois de avançar nos demais grupos prioritários. Um levantamento do G1 no início desta semana apontou que Natal era a única capital do Nordeste que ainda não havia começado a imunizar pessoas abaixo de 60 anos.

A autônoma Ana Lúcia Pereira de Oliveira, de 59 anos, tomou vacina contra Covid em Parnamirim nesta quinta (10) — Foto: Lucas Cortez/Inter TV Cabugi

A autônoma Ana Lúcia Pereira de Oliveira, de 59 anos, tomou vacina contra Covid em Parnamirim nesta quinta (10) — Foto: Lucas Cortez/Inter TV Cabugi

Após uma reunião entre estado e municípios, foi decidido que 50% das novas cargas das vacinas serão destinados ao público por faixa etária que não é idoso e que não possui comorbidade.

FONTE/CRÉDITOS: g1.globo.com/rn
Comentários:

Veja também

Seja assinante do nosso portal! É GRÁTIS!

Você pode ler matérias exclusivas, anunciar classificados e muito mais!