Portal ApoNews

Notícias RN

Governo do RN determina volta ao trabalho presencial para servidores

Segundo Administração, decisão foi motivada pela melhora no quadro da pandemia no estado.

Governo do RN determina volta ao trabalho presencial para servidores
Créditos: As fotos e vídeos contidos nesta matéria é de inteira e total responsabilidade de Divulgação
Use este espaço apenas para a comunicação de erros nesta postagem
Máximo 600 caracteres.
enviando

Servidores públicos estaduais, bolsistas e estagiários do governo do Rio Grande do Norte deverão voltar ao trabalho presencial nas suas secretarias e órgãos onde são lotados.

Segundo o governo do estado, os que integram os grupos de risco para a Covi-19 só deverão retornar ao expediente presencial após completarem o ciclo de imunização.

A decisão foi publicada no Diário Oficial do Estado nesta sexta-feira (9), por meio das Secretarias da Saúde Pública (Sesap) e da Administração (Sead), e leva em consideração o cenário epidemiológico atual do RN.

"O Rio Grande do Norte é um dos estados em que a pandemia está dando sinais de recuo. Isso é fruto do avanço da vacinação, além de todas as medidas adotadas pelo governo no combate ao coronavírus", afirma a secretária de Administração, Virgínia Ferreira.

O G1 questionou à Sead o número de servidores que ainda está trabalhando à distância, mas a pasta informou que não tinha os dados de todas as secretarias.

De acordo com a Portaria Conjunta nº 17 - SESAP/SEAD, com relação àqueles que integram o grupo de risco, fica estabelecida a possibilidade de retorno ao trabalho presencial imediatamente após o 28º dia da 2ª dose da vacina, ou da dose única, no caso da vacina da Janssen.

Além disso, cada órgão da administração estadual direta e indireta será responsável por fazer a convocação dos seus respectivos servidores públicos, objetivando o cumprimento da jornada de trabalho presencial.

O documento também diz que, em casos de impossibilidade de imunização dos servidores que integram o grupo de risco, por motivos de saúde, como alergia a componentes dos imunizantes ou patologias que afetam o sistema imunológico, esses deverão apresentar justificativa, com respectivo laudo médico, ao setor pessoal do órgão de lotação, para que possam permanecer em regime de teletrabalho.

Apesar da liberação para o retorno, o governo reforçou que os servidores deverão continuar adotando as medidas estabelecidas de prevenção ao contágio do coronavírus no expediente presencial, com uso correto de máscara; higienização das mãos e distanciamento social.

Aviso: Esse conteúdo não reflete a opinião do nosso portal e a sua fonte é g1.globo.com/rn
Comentários:

Veja também