Portal ApoNews

Notícias Paraíba

Operação investiga grupo suspeito de desviar dinheiro público da Prefeitura de Dona Inês, PB

Durante as investigações foram detectados documentos que atestam que a administração de uma empresa de combustível.

Operação investiga grupo suspeito de desviar dinheiro público da Prefeitura de Dona Inês, PB
Antônio Vieira/TV Cabo Branco
Use este espaço apenas para a comunicação de erros nesta postagem
Máximo 600 caracteres.
enviando

Uma operação desencadeada nesta quinta-feira (20) cumpre 14 mandados de busca e apreensão domiciliar nos municípios de Dona Inês, Solânea e Guarabira. A ação denominada Passando a Limpo investiga o ex-prefeito da cidade de Dona Inês, suspeito de desviar recursos públicos das prefeitura.

Os mandados foram expedidos com o objetivo de reunir provas que apontam para o desvio de recursos públicos, fraudes em procedimentos licitatórios, lavagem de dinheiro, entre outros ilícitos cometidos por grupo criminoso instalado no âmbito da Prefeitura Municipal de Dona Inês, no período compreendido entre os anos de 2017 e 2020.

De acordo com as investigações, existe um grupo criminoso responsável pela contratação de empresa para o fornecimento de combustível para a prefeitura de Dona Inês. Durante as investigações foram detectados documentos que atestam que a administração da empresa de combustível era realizada pelo próprio gestor municipal (até então, prefeito da cidade naquele período).

O g1 entrou em contato com o gestor José Idalino, mas não houve resposta.

A empresa contratada é um posto de combustível cuja propriedade seria, em tese, da irmã do gestor apontado como líder do grupo criminoso investigado. Conforme as investigações, ela possivelmente estaria na condição de “laranja”. Inclusive, procurações conhecidas nos autos registram a outorga de poderes da administração da empresa em favor do seu irmão (prefeito à época).

A ação é uma força tarefa do Ministério Público e da Polícia Civil da Paraíba, por meio da Promotoria de Justiça de Bananeiras, Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco-PB) e da Delegacia de Combate à Corrupção.

Aviso: Esse conteúdo não reflete a opinião do nosso portal e a sua fonte é g1.globo.com/pb

Veja também

Envie sua mensagem para nossa Central de Atendimento.