Portal ApoNews

Notícias Urgente

População de Canguaretama protesta contra um ano de hospital estadual fechado

A população de Canguaretama protestou neste final de semana contra um ano de fechamento do hospital estadual no município.

População de Canguaretama protesta contra um ano de hospital estadual fechado
Use este espaço apenas para a comunicação de erros nesta postagem
Máximo 600 caracteres.
enviando

O ato público aconteceu no último sábado (25), quando o Hospital Regional de Canguaretama completou um ano de desativação. O Sindicato dos Servidores da Saúde do RN (Sindsaúde/RN) apoio o protesto.

O Sindsaúde/RN informou que 108 funcionários trabalhavam no hospital. Segundo o sindcato, o fechamento causou diversos protestos de servidores e usuários em frente à unidade, pedindo respostas do Governo.

De acordo com a subcoordenadora da Subcoordenadoria de Vigilância Sanitária (Suvisa), Leila Matos, o motivo foi o elevado risco sanitário que a unidade oferecia aos pacientes. Ainda segundo a subcoordenadora, havia mofo, infiltrações e faltavam equipamentos.

"Infelizmente, essa é a situação de vários hospitais no estado. Muitos estão caindo aos pedaços e sem insumos. As servidoras e servidores estão com os salários defasados e ainda com duas folhas atrasadas. Sofrem ainda com a falta de EPIs e com o assédio moral", denunciou o Sindsaúde/RN.

Ainda de acordo com o sindicato, o hospital havia sido alertado dos riscos e da possível interdição desde abril de 2019, segundo a Sesap, quando os problemas foram identificados por meio de uma vistoria. "Esse fechamento é reflexo de anos de sucateamento da saúde pública pelos governos, que nunca priorizaram essa área. O governo Fátima Bezerra (PT/PCdoB) mantém essa política e reafirma a cada dia que é inimigo da saúde. Ao invés de ampliar as unidades, Fátima reduz leitos e fecha unidades", criticou o Sindsaúde.

"Fátima não está comprometida com a regionalização dos hospitais do estado. Pelo contrário, precariza ainda mais os serviços. Por consequência, aumenta a sobrecarga de outros hospitais, como o Walfredo Gurgel", detalhou o sindicato. "Não vamos pagar pela crise! Os gestores devem priorizar os serviços públicos!", disse o diretor do Sindsaúde RN, Flávio Gomes.

Aviso: Esse conteúdo não reflete a opinião do nosso portal e a sua fonte é De Fato
Comentários:

Veja também