Portal ApoNews

MENU
Logo
Quarta, 23 de junho de 2021
Publicidade
Publicidade

Sergipe

Suspeito de estuprar duas filhas engravidou uma delas e deu remédio para aborto segundo a polícia

De acordo com as investigações, os abusos começaram quando as vítimas tinham 2 e 7 anos, respectivamente

Publicidade
Publicidade
Imagem de capa
A-
A+
Use este espaço apenas para a comunicação de erros nesta postagem
Máximo 600 caracteres.
enviando

Um homem suspeito de estuprar as duas filhas foi preso preventivamente pela Polícia Civil no município de Monte Alegre de Sergipe nessa Terça (04). De acordo com as investigações, os abusos começaram quando as vítimas tinham 2 e 7 anos, respectivamente. Uma delas chegou a engravidar do genitor, que auxiliou em um aborto.

Com redução de 40% de notificações em SE, campanha alerta para crimes contra crianças e adolescentes
Segundo o delegado Eurico Nascimento, uma das vítimas afirmou que teve relações sexuais diárias com ele dos 7 aos 12 anos de idade, embora os abusos sexuais tenham sidos iniciados anteriormente. Com 11 anos, engravidou do pai, que ministrou remédios abortivos e inviabilizou a gestação. Ela também relatou o que ocorreu à irmã mais nova.

Após as denúncias, o suspeito fugiu para uma cidade na fronteira com a Bolívia, de onde continuava em contato com a filha, através de videochamada, solicitando que fossem mostradas partes íntimas da filha.

Ainda de acordo com o delegado, ele confessou os crimes.

"Ao ser interrogado, o investigado confessou a prática dos crimes sexuais contra as duas filhas, dando detalhes de como aconteciam, inclusive afirmou ter continuado com os atos sexuais enquanto a criança ainda se recuperava do aborto".
O homem está à disposição da Justiça. A Polícia Civil destaca que informações e denúncias podem ser repassadas de forma sigilosa por meio do Disque-Denúncia, pelo telefone 181.

Aviso: Esse conteúdo não reflete a opinião do nosso portal e a sua fonte é g1.globo.com/se

Créditos: As fotos e vídeos contidos nesta matéria é de inteira e total responsabilidade de Reprodução/ Internet

Publicidade
Publicidade

Comentários: