Portal ApoNews

MENU
Logo
Quarta, 16 de junho de 2021
Publicidade
Publicidade

Policia

Suspeito de matar adolescente trans Pietra Valentina a facadas é preso

A jovem que se identificava como Pietra Valentina foi assassinada com golpes de faca no Bairro Pio XII.

Publicidade
Publicidade
Imagem de capa
A-
A+
Use este espaço apenas para a comunicação de erros nesta postagem
Máximo 600 caracteres.
enviando

Um homem de 18 anos foi preso nesta quarta-feira (28) suspeito de ser o autor do homicídio que vitimou a adolescente trans Pietra Valentina, de 16 anos, no último dia 5 de abril, em Juazeiro do Norte, no Ceará. A jovem foi assassinada com golpes de faca no Bairro Pio XII.

O suspeito estava com um mandado em aberto por outro crime de homicídio no mesmo município. Ele foi detido quando estava no Bairro Salesiano. Mais detalhes sobre a prisão dele vão ser divulgados nesta quinta-feira (29) pelo Núcleo de Homicídios e Proteção à Pessoa (NHPP).

Outros casos

Nesta segunda-feira (26) também em Juazeiro do Norte, uma jovem trans de 20 anos foi assassinada com um tiro no pescoço, no Bairro Campo Alegre. A jovem se identificava como Luana. Os suspeitos do crime ainda não foram presos.

Em janeiro de 2021, uma outra adolescente trans também foi assassinada no Ceará, em Camocim. Keron Ravach, de 13 anos, foi morta a pauladas, chutes e socos por cobrar uma dívida de R$ 50 do suspeito, de 17 anos. A vítima foi encontrada morta em um terreno baldio no Bairro Apossados.

Homicídios de pessoas trans no Ceará

O Ceará aparece como segundo estado no qual mais pessoas travestis e transexuais foram assassinadas no ano passado. É o que mostra o "Dossiê: assassinatos e violência contra travestis e transexuais brasileiras em 2020", elaborado pela Associação Nacional de Travestis e Transexuais do Brasil (Antra).

Segundo o relatório, realizado a partir de informações obtidas pela associação com pessoas e veículos de comunicação de todos os estados, foram mortas violentamente no estado 22 transgêneros. O Ceará fica atrás apenas de São Paulo, onde foram mortas 29 pessoas no ano passado. Desde 2017, o Ceará aparece entre os quatro estados brasileiros com mais mortalidade de pessoas trans.

Ao todo, nos quatro últimos anos, 62 pessoas trans foram assassinadas no território cearense. Neste quesito, o estado também aparece em segundo lugar, atrás apenas de São Paulo, cujos assassinatos somaram 80.

Casos no Ceará

Em 26 de fevereiro de 2019, Ana Lima, de 40 anos, foi morta a tiros no Bairro Alto São João, em Pacatuba, na Região Metropolitana de Fortaleza. Conforme a Delegacia Metropolitana de Maracanaú, que recebeu o caso, testemunhas ouviram cerca de três disparos de arma de fogo. Ana foi atingida por tiros na cabeça e morreu no local.

Em 20 de setembro, uma travesti identificada como Bruna Surfistinha, de 26 anos, foi assassinada a tiros enquanto tomava banho dentro de uma residência, no município de Chorozinho, Região Metropolitana de Fortaleza. Testemunhas afirmam que dois homens foram vistos saindo correndo do local após o crime.

Já na manhã de 12 de outubro de 2019, uma travesti identificada como Julia foi morta a tiros, no Bairro Sumaré, no município de Sobral, a 200 Km de Fortaleza. De acordo com a polícia, dois homens chegaram a pé na rua em que ela se encontrava e realizaram vários disparos de arma de fogo contra a vítima, fugindo em seguida.

Tentativas de homicídio

O Ceará também é o segundo do país no registro de tentativas de homicídio contra a população transgênero - dividindo a posição no ranking violento com o Rio Grande do Sul. Foram cinco tentativas em 2019, com registros nas cidades de Fortaleza e Juazeiro do Norte, e ficando atrás novamente de São Paulo, com 12 identificações.

Publicidade
Publicidade

Comentários: